Você sabe como funciona um pendrive?

Os pen drives, substitutos irreversíveis dos disquetes, do CD-rom e do DVD-rom e uma das formas mais eficientes de portabilidade não pode mais ficar fora do alcance de qualquer pessoa, seja para usá-lo como auxiliar no armazenamento de dados no computador ou como unidade de armazenamento de música, os pen drives não ficam mais de fora de nossos itens de utilidade contínua. Mas você sabe como funciona um pen drive?

Muito populares, não se imagina como ninguém pensou em inventá-los antes, somente de alguns anos para cá eles se difundiram de forma realmente contundente entre nós. Além de ser um excelente substituto dos disquetes e das mídias óticas, tem uma vantagem muito peculiar: o espaço de armazenamento e a velocidade na gravação e transferência de dados. Se você conheceu o disquete, já sabe do que estou falando.

O funcionamento dos pendrives tem como principio o uso da chamada memória flash e não do magnetismo, ou seja, é uma memória tipicamente eletrônica. No pendrive, os elétrons constituintes do chip que recebem carga positiva ficam “marcados” com o número 1 e ao perder carga, ficam “marcados” com zero e assim ocorre o armazenamento.

Bem diferente do HD, onde o armazenamento e a leitura são feitos por meio magnético no conhecido princípio atração/repulsão que existe nos imãs. Diferente também das mídias óticas como o CD ou DVD, onde a gravação ou leitura é feita usando-se raio laser.

Como o pendrive ficou muito popular, é possível encontrar softwares exclusivos para rodarem diretamente neles, como algumas versões de editores de texto e planilha, entre outros. E como tal, a existência de vírus também é uma realidade que existe e que pode infestar os pendrives, os quais geralmente acabam se auto-copiando para os computadores, quando neles conectado.

Os modelos de pen-drives também são uma característica marcante frente ao sucesso do produto. Há versões das mais tradicionais às mais extravagantes; das mais formais às mais esportivas e assim por diante. Há quem não tire de cima da mesa do computador, por outro lado, há quem o use como chaveiro e o carregue para todos os lados. Como você pode ver, um item que tomou conta da vida e do cotidiano de todas as pessoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*