Inventado processador de computador ultraveloz 1000 vezes mais rápido

Se você for uma daquelas pessoas que detesta computador lento (haveria alguém que goste?) leia este texto e saiba o que a IBM acabou de inventar para revolucionar o que podemos chamar de velocidade nos computadores. Trata-se de um componente, que utiliza a luz, e que é capaz de processar dados em até 40 gigabits por segundo, sendo ao mesmo tempo 20 vezes mais econômico que os atuais.

Você não agüenta a lentidão que o seu computador obriga você a tolerar todos os dias? Parece até que somos mais rápidos do que ele. Sei como é isso, o PC não consegue nem acompanhar nosso ritmo de atividades na frente dele, isso é profundamente indesejável, porém muito comum ainda, devido as condições econômicas da população brasileira e, até certo ponto, a própria limitação tecnológica frente a inúmeras novidades que aparecem no setor.

Se você já tem um computador potente, que agüenta bem o tranco, que não estressa você, que é estável e super veloz, independente das aplicações com as quais ele roda, parabéns, você é um privilegiado. Um computador potente é o desejo de todos que necessitam dele.

Agora pare tudo e veja o que aparecerá no mercado para revolucionar e acabar de vez com as limitações tecnológicas que os computadores atuais, mesmo os mais modernos, irão receber para turbinar as máquinas que nos habituamos a torná-las como um próprio membro da família.

Engenheiros da IBM (a mesma empresa que inventou o computador que você está, provavelmente, lendo este texto, o PC) divulgaram em março de 2010 a criação de um conceito denominado de “célula nanofotônica de avalanche” que é um pequeno chip com capacidade de processar até 40 gigabits de dados por segundo, isso significa que a unidade alcançará uma velocidade até mil vezes mais rápida do que os atuais processadores disponíveis no mercado.

Conforme o próprio nome diz, o funcionamento do novo chip faz lembrar uma avalanche, onde um pequeno pulso de luz faz liberar alguns elétrons que liberam outros e assim progressivamente, obtendo-se no final um efeito muito maior do que o original emitido.

Para o futuro, espera-se que uma nova geração de computadores venha a realizar tarefas em velocidade muito maior do que as usuais da atualidade. Isso não significa que amanhã mesmo já se possa encomendar um desses, não. Talvez nem seja aplicado nos modelos PCs. Esse é um procedimento gradual, onde o passo inicial já foi dado.

Veja vídeo (em inglês) produzido pela própria IBM sobre este novo conceito, clique aqui.

Mas o importante, é que podemos esperar muito mais dos nossos computadores, que venham as aplicações pesadas, porque processador para elas, com certeza terá. E você, já tem ideia do que será possível pôr no computador para provar sua velocidade?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*