O que foi o Evento Tunguska




O nome não parece ser muito familiar, o Evento Tunguska tem origem no nome de um rio localizado na Sibéria, o rio Podkamennaya Tunguska, que deu nome a um dos fenômenos mais intrigantes da história, a mais de 100 anos atrás, no dia 30 de junho de 1908, por volta da 7:30 da manhã. Aquele lugar não seria mais o mesmo.

Naquele fatídico dia, uma onda de choque muito maior do que dezenas de vezes a bomba de Hiroshima, atingiu a região do rio Podkamennaya Tunguska, na Sibéria, devastando nada menos que 2 mil km² de floresta, onde estimou-se que 80 milhões de árvores, populações inteiras de ursos, de lobos e de milhares de outros animais foram estraçalhados por completo, em um desastre natural que até hoje não se recuperou totalmente. O nome dado a este acontecimento é Evento Tunguska.

Testemunhas oculares, a dezenas de quilômetros do epicentro desabitado de gente, nararam com detalhes o que seus olhos e seus sentidos presenciaram: “o céu se partiu em dois, uma bola de fogo invadiu a floresta, o fogo se alastrava ferozmente espalhando um calor infernal. Foi quando o céu se fechou e um trovão ensurdecedor emudeceu a região, arremessando pessoas a alguns metros de distância”.

Pessoas em regiões distantes, na Ásia e Europa eram unânimes em afirmar: “fortes ondas de calor e forte vento, acompanhados de explosões e terremotos, eram percebidos. O céu noturno ficou incandescente por semanas a mais de 10 mil quilômetros do epicentro, sendo possível até ler à noite com a luz emitida.”

E não foi somente isso, bem longe, do outro lado do oceano, um observatório espacial americano, detectou turbidez na atmosfera por diversos meses, relativo à poeira em suspensão.




Que fenômeno foi esse afinal? Hipóteses especulavam na época a possibilidade de queda de um meteorito no local do fenômeno, no entanto, isso não era possível, pois não havia cratera alguma no local, sendo impossível não existir cratera na colisão de um meteorito.

Segundo Carl Sagan, um dos maiores cientista e astrônomo da segunda metade do século XX, em sua obra “Cosmos”, explicou o que foi que aconteceu no local: “a Sibéria foi atingida por um pedaço de cometa!”

Isso explica o porquê não houve cratera no local, o corpo celeste explodiu antes de tocar o solo, a cerca de 8 quilômetros de altitude, devido ao contato violento com a atmosfera. Como os cometas são constituídos basicamente de gelo, a energia produzida pelo impacto, na atmosfera terrestre, desintegrou o cometa, convertendo-o em sua maioria, na forma de energia, o equivalente a aproximadamente 15 milhões de dinamites, totalmente lançado sobre a área afetada, produzindo toda a devastação, unicamente com energia, sem objetos físicos.

A comprovação final de que se tratava de um corpo celeste, aconteceu na década de 1950, quando pesquisadores encontraram no local vestígios de micro-diamantes, esferas de vidro-sílica, com alta concentração de irídio e níquel, que não existem no planeta Terra, evidenciando uma origem extraterrestre.

Apesar de aceita a afirmação do cometa, estudos recentes, utilizando-se simulação em 3 dimensões por supercomputadores, gerou uma nova teoria sobre o Evento Tunguska. Segundo o estudo liderado por Mark Boslough, “um asteróide teria o mesmo efeito”. Porém, a energia produzida seria, não de 15 milhões de dinamites, mas de apenas 5 milhões.

O Evento Tunguska foi um dos maiores fenômenos naturais, tendo o planeta Terra como palco, mas, provavelmente, não foi o único com a mesma natureza. Atualmente, se um fenômeno parecido se repetisse, considerando-se o número muito maior de pessoas no planeta, com cidades super povoadas; é preciso que as autoridades fiquem de olhos bem abertos, para detectar a chegada de outros possíveis corpos celestes, preocupantes. A pergunta é: o que fazer para afastar um invasor, destruidor como esse? Ou, como afastar as pessoas em segurança, se estiverem no alvo deles?




2 Replies to “O que foi o Evento Tunguska”

  1. É incrivel como as pessoas despresam a verdadeira causa do evento de tunguska, foi apenas um teste do cientista Nicola Tesla, o mesmo que intentou a bobina de Tesla, a lampada fluorescente, a corrente alternada, o radar, etc, na ocasião Nikola Tesla, testava sua maquina denominada raio da morte, pesquisem.

  2. Calma gente, o evento de tunguska foi um mero teste feito por Nikola Tesla ainda de noite em seu laboratório, após o conhecimento do efeito causado pelo teste, ele mesmo desmontou sua maquina denominada raio da morte, é só pesquisar no google

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*