Eclipse lunar em palavras bem fáceis




Fenômenos existem e são muitos. Os eclipses estão entre os fenômenos naturais mais fascinantes que existem. De todos os eclipses, os mais fáceis de se observar são os lunares. Todos os anos somos agraciados com pelo menos dois eclipses lunares, nem sempre visíveis em todos os lugares do globo terrestre.

É um espetáculo quando a terra se coloca no centro, ou seja, o nosso planeta fica ajustado entre o sol e a lua. Eclipse lunar, portanto, só pode acontecer em épocas de lua cheia, ou quase cheia, momento em que a terra está entre os dois astros, sol e lua. Em épocas de lua nova, existe a possibilidade de ocorrer um eclipse solar, uma vez que, neste caso, é a lua que está no centro, entre o sol e o nosso mundo.

É fácil entender o porquê acontece um eclipse. O lunar, por exemplo, estando a terra entre o sol e a lua, o lado oposto ao qual a terra é iluminada, projeta um enorme cone de sombra, da mesma maneira que um objeto qualquer é iluminado ao sol e projeta sua sombra, o planeta terra também projeta sua sombra no vazio do espaço. Esta sombra é eterna, de modo que, sempre haverá um lado de nosso planeta na frente da luz solar, o lado oposto, logicamente, estará na sombra, ou seja, à noite, nós estamos mergulhados na sombra de nosso planeta.

Como o planeta terra é muito menor do que o sol e, enormemente menor do que a luz solar irradiada do sol, a sombra projetada de nosso planeta ainda é menor do que á área iluminada do espaço, a sombra adquire a forma de um cone, um enorme cone de sombra no espaço, que é muito mais distante do que a distância que separa a lua de nós.




Desta maneira, existe uma grande chance da lua mergulhar neste cone de sombra. Isto não acontece mensalmente em épocas de lua cheia porque a lua tem um eixo de translação não parelho com a terra, assim, o cone de sombra mensalmente não acerta a lua, não ocorrendo, portanto, eclipse.

O emparelhamento do eixo de translação da lua e o da terra se ajustam durante dois momentos em cada ano em épocas de lua cheia, momentos em que o cone de sombra terrestre atinge a lua, total ou parcialmente. A parte da lua mergulhada na sombra terrestre gera um eclipse parcial ou, na totalidade na sombra, gera um eclipse total.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*