Celular já era, agora o negócio se chama CIMP

Muitos já o chamaram de telefone. Ele já foi carinhosamente apelidado de “tijolão”, mas não há duvidas que o nome mais provável dele seja celular.

Este pequeno grande objeto, ganhou fama sendo chamado de telefone celular, mas é bem verdade que de celular somente restou o nome, hoje poderíamos chamá-lo corretamente de CIMP ou Central Integrada de Mídia Portátil.

Que tal? Será que esta designação faz sentido? Bom, se pegarmos o mais simples dos aparelhos nele encontraremos agenda, jogos, mensagem de texto, internet, e-mail, câmera fotográfica… tem alguns que até o usam como telefone.

E a indústria que engloba a “central integrada de mídia portátil” não poderia estar mais feliz (quando eu digo indústria eu quero dizer a todo o mercado que faz parte desse negócio, fábricas de aparelhos, operadoras, vendedoras etc) com o tamanho do sucesso que a difusão deste serviço se tornou em nosso meio. Tem cidade pequena, onde as operadoras não chegam muito facilmente, que os prefeitos ficam quase loucos em tentar conseguir levar o tão badalado serviço para seus moradores.

Com crédito ou sem crédito a CIMP está sempre pendurada no cinto ou no bolso das pessoas (alguns pobres para disfarçar carregam sempre à mão para que se pense que têm muitos negócios) e a moda agora é ter dois, três, quatro e até mais aparelhos por pessoas  (pelo menos as pessoas mais viciadas em chip) um para cada operadora.

Na televisão, é direto propagandas, mande um sms para o número tal e receba os mais simples até os mais exóticos serviços por torpedo. Na verdade isso só enriquece as operadoras. Hoje, é possível fazer pedido de orações por sms, que o diga a tv Canção Nova (será que Deus tem paciência de ler todas as mensagens?). O que se sabe é que o povo financia este mercado que a cada dia cresce mais.

Que tal receber as novidades do seu signo? Há um milhão e meio de sms que oferecem este serviço no seu celular. Você prefere receber dicas de paquera? Ou saber se o seu nome combina com o do seu amor? Não importa, pra tudo você vai achar onde gastar os créditos de seu celular.

Mas deixe um pouco para votar no Big Brother, a Globo agradece a sua colaboração.

Vivemos no capitalismo, gostamos de contribuir para o enriquecimento de alguns poderosos (e como poderíamos chamar as operadoras e fábricas de celulares senão de poderosos?). E você já deu sua contribuição hoje?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*