Povo brasileiro, vivendo a ilusão do pão e circo

Talvez você conheça bem ou, talvez, você nunca ouviu falar, mas o povo romano já viveu em uma fase da história conhecida como a política do pão e circo. Esse foi um fato que predominou na alta idade média, no tempo do império romano e, que atualmente, pode ser comparada com a realidade do povo humilde do Brasil.

No império romano, o crescimento exagerado e irregular da população, trazia graves conseqüências sociais. O imperador, como forma de prevenir que a população se revoltasse por causa da falta de trabalho, das difíceis condições sociais e outros problemas comuns de uma sociedade oprimida, criou aquilo que foi denominado de política do pão e circo e, você verá logo abaixo, o porquê que esta política ainda existe, aqui no Brasil, embora de outra forma, nos dias atuais.

Ora, na época do Império Romano, assim como em praticamente todos os outros impérios pelo mundo afora, a grande massa da população vivia na miséria, sustentando uma minoria que viviam no mais alto luxo e conforto.

A política do pão e circo consistia em uma forma criada pelo império para ocupar o povo por meio da distração. Fazer o povo se distrair, foi uma estratégia suficientemente astuta para manter o povo ocupado, de maneira a não irem atrás de provocar revoltas e atividades de desordem, resultando em um procedimento simples e fácil de ser alcançado.

A principal forma de distração ao povão do Império Romano eram os espetáculos de gladiadores nos estádios da época. Eventos que atraiam a atenção da massa para aquele tipo de esporte, durante os quais, eram distribuídos alimentos, como trigo e pão.

Assim, o império atingia seus objetivos. De um lado, o povo, alimentado e distraído, do outro, um governo opressor, livre de rebeliões e revoltas oriundas da grande massa, que não pensava mais em guerra, pois tinha sua “distração suficiente”.

A estratégia deu tão certo que o calendário romano chegou a ter 175 eventos de gladiadores por ano, nos estádios, deixando a grande massa do povo em absoluta distração e total controle.

E, em que esta situação lembra a realidade brasileira? Simples, o povo brasileiro, em sua maioria, vive à sombra da opressão. Poucos ganham muito e muitos ganham o mínimo para viverem. O Brasil tem problemas com diferenças sociais, pobreza, mortalidade infantil e tantos outros problemas graves. Tudo isso origina comunidades de pobreza (favelas), subemprego e condições severas de sobrevivência.

Qual é a política do pão e circo que nosso país tem? Simples, basicamente a política de distração do povo brasileiro é o futebol e o carnaval.

O futebol e o carnaval é a vez do povo. Nesses eventos, os brasileiros pobres, que é a grande maioria da população, soltam seus gritos de heróis. O grito entalado na garganta quando seu time marca um gol. A extrapolação da farra nos dias de carnaval.

É jogando futebol, é torcendo e assistindo jogos de futebol e é, extravasando nas festas de carnaval, que o povão deixa seus problemas do dia a dia, que se esquece das precárias condições sociais em que vivem. Que deixa em um grito de gol, ou em passes de samba, as marcas de uma realidade adversa àquela em que está habituado a viver.

E, assim, os brasileiros se distraem, e vão vivendo em paz, enquanto que alguns poucos privilegiados vivem na mais absoluta riqueza e luxo, comandando todo o espetáculo.

Embora existam outras formas de distração para a massa brasileira, como telenovelas, internet, loterias, bolsa família etc., nenhuma delas surte tamanho efeito, como o futebol e o carnaval.

Em resumo: o futebol e o carnaval representam a nova política “do pão e circo”, encarnada na população brasileira.

2 Replies to “Povo brasileiro, vivendo a ilusão do pão e circo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*